O verdadeiro objetivo do conhecimento profético se alcança apenas pela reforma interior, e não pelo conhecimento acumulado em si mesmo.

sábado, 6 de setembro de 2008

O Papa e o anticristo




Israel e Jerusalém


Todos sabem que a fundação do Estado de Israel é cumprimento bíblico profético e que portanto, é um “marco profético” importante para a compreensão do tema. Tanto o ocaso como a restauração de Israel, foram previstos profeticamente.

Um “marco profético” é um evento profetizado que pode ser identificado como fato, e como tal, pode nos dar noção de proximidade ou distância, em termos de ocorrência de outros eventos profeciados.











E também todos reconhecem a importância de JERUSALEM como centro de origem e convergência das três principais Religiões do Mundo.



É interessante lembrar que alguns defendem a idéia de que os acontecimentos mais dramáticos profetizados já ocorreram, esquecendo-se, dentre outras coisas, de que a restauração de Israel é pressuposto básico para estes eventos.

O Estado de Israel, fundado em 1948, cumpre promessa profética e está inserido no contexto dos eventos “finais”, portanto estamos inseridos neste contexto nos tempos atuais.

JOEL 3:
1 Porque, eis que naqueles dias, e naquele tempo, em que removerei o cativeiro de Judá e de Jerusalém, 2 Congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com elas entrarei em juízo, por causa do meu povo, e da minha herança, Israel, a quem elas espalharam entre as nações e repartiram a minha terra. 3 E lançaram sortes sobre o meu povo, e deram um menino por uma meretriz, e venderam uma menina por vinho, para beberem


Comentários :
“naqueles dias” fala do contemporâneo, dos tempos atuais, pois apenas em 1948 “o cativeiro de Judá será (foi) removido”. E o texto segue falando da reunião das Nações, algo bem conhecido e presente no inconsciente coletivo do Mundo cristão : a Batalha do Vale do Monte Megido ou Armagedon. A citação do menino entregue a meretriz também é bem interessante e remete a citações do Apocalipse, notadamente Capítulo 17.

EZEQUIEL 11:

16 Portanto, dize: Assim diz o Senhor DEUS: Ainda que os lancei para longe entre os gentios, e ainda que os espalhei pelas terras, todavia lhes serei como um pequeno santuário, nas terras para onde forem. 17 Portanto, dize: Assim diz o Senhor DEUS: Hei de ajuntar-vos do meio dos povos, e vos recolherei das terras para onde fostes lançados, e vos darei a terra de Israel. 18 E virão ali, e tirarão dela todas as suas coisas detestáveis e todas as suas abominações. 19 E lhes darei um só coração, e um espírito novo porei dentro deles; e tirarei da sua carne o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne; 20 Para que andem nos meus estatutos, e guardem os meus juízos, e os cumpram; e eles me serão por povo, e eu lhes serei por Deus.


EZEQUIEL 34:

9 Portanto, ó pastores, ouvi a palavra do SENHOR: 10 Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos demandarei as minhas ovelhas, e eles deixarão de apascentar as ovelhas; os pastores não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e não lhes servirão mais de pasto. 11 Porque assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei. 12 Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas; e livrá-las-ei de todos os lugares por onde andam espalhadas, no dia nublado e de escuridão. 13 E tirá-las-ei dos povos, e as congregarei dos países, e as trarei à sua própria terra, e as apascentarei nos montes de Israel, junto aos rios, e em todas as habitações da terra. 14 Em bons pastos as apascentarei, e nos altos montes de Israel será o seu aprisco; ali se deitarão num bom redil, e pastarão em pastos gordos nos montes de Israel. 15 Eu mesmo apascentarei as minhas ovelhas, e eu as farei repousar, diz o Senhor DEUS. 16 A perdida buscarei, e a desgarrada tornarei a trazer, e a quebrada ligarei, e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com juízo. 17 E quanto a vós, ó ovelhas minhas, assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu julgarei entre ovelhas e ovelhas, entre carneiros e bodes. 18 Acaso não vos basta pastar os bons pastos, senão que pisais o resto de vossos pastos aos vossos pés? E não vos basta beber as águas claras, senão que sujais o resto com os vossos pés? 19 E quanto às minhas ovelhas elas pastarão o que haveis pisado com os vossos pés, e beberão o que haveis sujado com os vossos pés. 20 Por isso o Senhor DEUS assim lhes diz: Eis que eu, eu mesmo, julgarei entre a ovelha gorda e a ovelha magra. 21 Porquanto com o lado e com o ombro dais empurrões, e com os vossos chifres escorneais todas as fracas, até que as espalhais para fora. 22 Portanto livrarei as minhas ovelhas, para que não sirvam mais de rapina, e julgarei entre ovelhas e ovelhas. 23 E suscitarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor. 



Comentários :
No acima, além das citações coincidentes, temos um trecho bem interessante e que “sugere” os tempos atuais de destruição e degradação ambiental.

Lucas, Marcos e Mateus

Temos em Marcos, em Mateus e em Lucas, um relato de Jesus sobre Jerusalém e o Tempo da Atribulação.

Os textos são reveladores, diretos, e contextualizados, ou seja, tais eventios ocorreriam somente quando uma série de outras condições (ou eventos) também se fizerem presentes :

1) muitos pretendendo ser o Cristo; 2) Guerras e rumores de guerras; 3) Fomes; 4) Doenças; 5) Terremotos; 6) Mártirios (mortes em nome da Fé); 7) Falsos profetas e doutrinas; 8) Aumento da iniquidade e Apostasia; 9) Evangelho divulgado a todas as Nações.


Em Lucas há um trecho que acho ainda mais interessante : “21:24 E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem."

Alguns entendem que o trecho “os tempos dos gentios se completem”, fala do tempo dos romanos e até a Fundação de Israel. Portanto toda a narrativa do texto até esta frase não seria profética para nós, ela já teria ocorrido. Alias nos 3 textos.

Discordo deste entendimento, pois penso que não se pode descontextualizar estes eventos do "marco profético" restauração de Israel, e os "gentios" cujo o tempo está para ser encerrado, refere-se a NÓS.

O uso de expressões como goy, gentio, judeu, não-judeu e etc... , confundem e dão um falso entendimento de que se fala de grupos em particular.

Lembrem-se de que nos tempos destes textos, somente os judeus eram crentes em um DEUS único, e somente eles podiam ser utilizados como referência para esta Adoração. Somente seus termos e suas definição serviam para designar algo que somente eles conheciam. Quando “transportamos” tais termos para nosso presente, temos obviamente que considerar sua forma, mas também tentar compreender sua essência.

Então por “judeus”, podemos entender atualmente como todos aqueles que verdadeiramente crêem em DEUS, não pela Religião mas por seus corações e atos.

E “gentios” como todos os demais, os que O combatem e os que não O compreendem, e não apenas as pessoas, mas as nossas próprias Sociedades que chegarão a um termo, conforme profeticamente previsto : “Caiu, Caiu a Grande Babilônia”.


Abominação da desolação


De todas as advertências dos textos, vamos nos concentrar nesta :

"Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda;" (Mateus 24:15)

"Ora, quando vós virdes a abominação do assolamento, que foi predito por Daniel o profeta, estar onde não deve estar (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judéia fujam para os montes." (Marcos 13:14)

“Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação. Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela. Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas.” (Lucas 21:20)



Nesta frase Jesus nos avisa sobre a "abominação da desolação" e sobre quando ela estiver aonde não deveria estar, no “lugar santo”.

A "abominação" é o anticristo e o "lugar santo” é Jerusalém.

O aviso é um indicativo para que aqueles que entendem, que fujam, ou seja, ainda haverá tempo para a fuga neste momento. Então ainda não será um cenário de guerra, pois ainda será viável tentar evitar o pior fugindo.

Os “exércitos” estarão em volta da Cidade, não para toma-la mas apenas talvez em formação de homenagem, ou para dar segurança a Líderes diversos.

Podemos por essa lógica supor que a "abominação" entrará na Cidade Santa sem combates.

No Apocalipse também temos a indicação disso revelada também através da citação dos 42 meses, ou mil duzentos e sessenta dias, nos quais os "gentios pisarão na cidade Santa".

Veja a observação mais acima sobre os termos usados e em como compreende-los na atualidade : “aqueles que não crêem DEUS pisarão na cidade Santa" ou “aqueles que combatem a DEUS pisarão na cidade Santa”.


Entrada pacífica do anticristo em Jerusalém ?


Antes de teorizar, lembremo-nos de que o Vaticano emitiu um parecer sobre a Doutrina dos Judeus sobre o Messias, em que endossa esta espera.

O trabalho assinado pelo então Cardeal e ex-Papa (Bento XVI renunciou em 11 de Fevereiro de 2013), Joseph Ratzinger, na época Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, causou surpresa.

O texto de fevereiro de 2002, chamado “The Jewish People and their Sacred Scriptures in the Christian Bible” ("O povo judeu e suas escrituras sagradas na Bíblia cristã"), da Vatican Pontifical Biblical Commission, afirma que:  O que já foi cumprida em Cristo deve ser cumprido em nós e no mundo. O cumprimento definitivo será no final com a ressurreição dos mortos, um novo céu e uma nova terra. Expectativa messiânica judaica não é em vão. Ela pode se tornar para nós cristãos um estimulante poderoso para manter viva a dimensão escatológica da nossa fé. Como eles, nós também vivemos na expectativa. A diferença é que para nós o que há de vir terá os traços de Jesus que já veio e já está presente e atuante entre nós”.


Isso se deu quando houve a formação de um trabalho em conjunto entre os judeus e o Vaticano, fruto do Jubileu em 2000, em que ambos se debruçaram sobre documentos históricos, buscando conciliação.

O então Cardeal Ratzinger e ex-Papa Bento XVI, endossou
a espera judaica pelo Messias.
Coincidência ?!


E a forma de o anticristo ser aceito na Nação de Israel e entrar pacificamente em Jerusalém, é ser confundido com o Messias judaico.

E nos é dito em várias passagens Bíblicas e Corânicas que o ac realizará prodígios e que enganará milhões. Porque não os judeus de Israel também ?!

Neste aspecto chama a atenção a citação sobre dajjal e seus primeiros seguidores serem judeus, com o fato de que um dos pontos importantes a serem observados sobre o Messias judaico, segundo os escritos messiânicos, é que ele será da casa de Abraão.

Muitos entendem que isso indica exclusivamente um judeu, e precipitadamente a frase nos leva a pensar assim. Mas podem estar errados !!

Muhammad , fundador do Islam, é da descendência de Abraão através de Ismael.


Portanto, tanto judeus como islâmicos são da casa de Abraão.



Outra possibilidade seria a de que Jerusalém voltasse a ser uma cidade árabe, ou, mais provavelmente, que Jerusalém se tornasse uma cidade compartilhada enttre árabes e judeus. Dividida administrativamente, mas uma mesma cidade.

Até a Guerra dos Seis dias Jerusalém era árabe, e foi tomada por Israel em 1967, e este é um dos pontos chave para um acordo de paz, o status de Jerusalém.

Em Israel há muita retórica sobre Jerusalém baseada nas Escrituras, alias não só lá como em outros Países. Mas há a possibilidade de o pragmatismo em busca de um acordo de paz amplo, prevalecer, e Jerusalém poderá ser compartilhada.

Então além da possibilidade de os judeus receberem o ac pacificamente, há a possibilidade de serem os próprios árabes a "abrirem os portões" da Cidade Santa a "abominação da desolação", com ou sem a anuência de Israel.

E a partir daí surgirem fatos que levarão ao conflito, inclusive o citado mais a frente em “O que provocaria a guerra ?”.


E como se daria o “reconhecimento” ?

Através do cumprimento de profecias a respeito.

Na verdade podemos até conjecturar que o ac, sabedor destas profecias, poderá buscar cumpri-las deliberadamente.

Entre elas, talvez a mais significante, está o asseguramento da existência da Nação de Israel, conforme esperavam os judeus do tempo de Jesus, que desejavam um Messias bélico lutando contra os Romanos.

Existem algumas interpretações proféticas bem conhecidas que colocam uma guerra ocorrendo entre a Rússia e Israel (Ezequiel 38 e 39).

Acredito que será esta guerra que assegurará o status definitivo do ac dentro do Estado de Israel, pois o ac virá como aliado de Israel nesta guerra, e terá papel decisivo na vitória. Muitos acreditam que a Rússia atacará em conjunto com o ac, ou a seu mando, e demonstram através de fatos contemporâneos a aproximação entre uma série de forças que, a seu tempo, estarão alinhadas com o ac.

Isso é correto, estas forças estão mesmo se alinhando e é fácil acompanhar isso pela mídia.

Mas baseado na lógica dos fatos conforme profeciados, ocorrerá uma invasão da China a Rússia, apoiada pelo ac, na 2ª metade da semana, o que me indica que neste ponto a Rússia não estará aliada ao ac. Este tema será tratado em um post próprio (Atualizado no blog : "Eixo Paquistão-Índia-China"), e é comentada no tópico da Comunidade Profecias : "Eixo Pakistão, Índia, China".

Estes fatos, dentre outros, elevarão o Poder e o Reconhecimento deste personagem a nível Mundial, mas somente até que a 1ª metade da última semana se conclua.

A partir daí, na 2ª metade da semana, o cenário será de caos.



A última semana de Daniel


Daniel registrou uma revelação de 70 semanas de anos, na realidade, 490 anos nos quais ocorreriam importantes acontecimentos relacionados com Jerusalem e o povo judeu.



Os dois primeiros períodos maiores abrangiam 483 anos ou 69 semanas.

O primeiro período das setenta semanas de Daniel começa com a ordem para a restauração de Jerusalem (Daniel 9:25-26), ordem esta dada por Neemias no ano de 445 ac.

Foram sete semanas ou 49 anos que corresponderam ao tempo de reconstrução de Jerusalem.

O segundo período de 62 semanas (434 anos) assinala o tempo que iria passar até que a vida do Messias fosse tirada.

A soma destes dois períodos revela a exatidão da profecia de Daniel, pois Jesus foi crucificado pouco antes do término dos 483 anos previstos.

Só que ainda falta 01 semana não cumprida, que se refere ao “povo do príncipe que há de vir”.

Entendo que o ac será este príncipe e esta semana é justamente o período de 7 anos, os quais o ac exercerá seu Poder, com 42 meses de paz e 42 meses de guerra.



E quem seria o ac ?

Existe a premente necessidade de um acordo entre os árabes e Israel, disso ninguém duvida.

Este jogo de gato-e-rato já descambou para guerras abertas em que várias centenas de pessoas morreram; e poderá novamente ser isso se os ânimos se acirrarem. Mas com a diferença que hoje temos Israel com armas atômicas e o Irã a caminho de possui-las. E temos uma Nação islâmica assumidamente atômica, o Paquistão, que vem sofrendo com instabilidades políticas, religiosas e sociais.

Além disso existem os enormes interesses econômicos na região, e com o petróleo nos preços atuais, todos temem as repercussões do aumento da violência a nível regional, que fatalmente terá impacto global grave.

E há a pressão das potências e organismos mundiais para o entendimento, a pressão dos árabes, islâmicos e judeus moderados. E mesmo a pressão dos radicais, que empurram todos a um constante estado de tensão e vigilância, devido às ameaças e ao terrorismo.

Algum dia terão que chegar a um acordo !!

Então há a necessidade urgente de um líder de expressão dentro do Mundo islâmico, para ser o vetor deste processo. Tem que haver um interlocutor, uma voz, uma liderança que represente os islâmicos com legitimidade, e apesar dos esforços de organizações como a Liga árabe, esta voz ainda não surgiu.

Citações de Hadits do Corão colocam de forma objetiva a localização o qual ad-dajjal será primeiramente reconhecido como uma liderança espiritual, e cita diretamente quem serão seus primeiros seguidores.


al-Masih ad-Dajjal, “falso messias, o impostor”,
é o nome dado ao ac nos textos do Corão.



O Corão é mais rico em fornecer detalhes sobre o ac do que a Bíblia ou qualquer outra literatura ou fonte cristã. E o motivo para mim é simples : ad-dajjal será alguém oriundo desta cultura.

Um árabe ou um persa, provavelmente islâmico, ou mais remotamente um judeu ou cristão da região.

Alguns que estudam o tema profético afirmam que será judeu de nascença, oriundo da Tribo de Dã, e atribuem a afirmativa principalmente ao seguinte treco bíblico : "Dã julgará o seu povo, como uma das tribos de Israel. Dã será serpente junto ao caminho, uma víbora junto à vereda, que morde os calcanhares do cavalo, e faz cair o seu cavaleiro por detrás. A tua salvação espero, ó SENHOR!" (Genesis 49:16)

Existem inclusive mensagens proféticas que afirmam textualmente que o ac será oriundo da tribo de Dã (ou Dan ou Danita).

Baseando apenas em profecias, só posso afirmar que é quase certo que o ac seja árabe ou persa. Poderá ser cristão, judeu ou islâmico de nascença, até o momento eu não tenho certeza de sua Religião e nem se a estará "usando" quando buscar/alcançar o Poder.


OBSERVAÇÃO :
Em 03 de outubro de 2009 foi publicada a notícia de que Ahmadinejad poderia ser judeu de ancestralidade, de família convertida ao islamismo.

Isso foi especulado pela verificação da documentação do lider iraniano, pois seu sobrenome familiar é Sabourjian, termo judeu que significa tecelão.

Isso demonstra a hipótese levantada mais acima no texto, quando digo que o ac poderá estar usando outra religião que não a sua de nascença, quando ascender ao poder.

E torna ainda mais factível os textos que falam que judeus serão seus primeiros seguidores, porque poderão ser judeus convertidos ao islamismo, assim como Ahmadinejad parece ser, e isso confere outro entendimento a questão.

O fato das conversões é incontestável, centenas de milhares de judeus, zoroastristas e cristãos do Irã, adotaram o islamismo após a Revolução Islâmica.

Outra atualização interessante, de Janeiro de 2010, dá conta da possibilidade de os Talebans serem descendentes de uma das tribos perdidas de Israel,quando o então Reino foi conquistado pelos Assírios, por volta de 700 ac.





O Muro que chorou


Em Julho de 2002, ocorreu um fenômeno no Muro das Lamentações ao qual foi atribuído um caráter profético por parte do rabinato.

Um filete de água surgiu no Muro, de forma misteriosa porque lá não existem canos d´água que justifiquem vazamentos.

O "choro" do Muro





Segundo o rabino-chefe do muro na época, Shmuel Rabinovitch, “muitos judeus acreditam que o ‘‘choro’’ é um sinal da chegada do Messias”.

Escavações para se determinar a origem da água não foram permitidas pelas autoridades islâmicas, já que isso representaria cavar em baixo do Domo da Rocha, o terceiro local mais sagrado para os islâmicos.

Divulgou-se posteriormente que a substância era a resina de uma planta que estava crescendo entre as rachaduras do Muro.

Mas a questão é que o Muro chorou, e muitos viram (e vêem) isso como um sinal.



Ad-dajjal
Das Hadits do Corão: 

"Ele surgirá entre Shaam e o Iraque, e seu surgimento se tornará conhecido quando ele estiver em Isfahan em um lugar chamado Yahudea"

"Os judeus de Isfahan serão seus primeiros seguidores"

"Além de ter seguidores judeus, ele terá um grande número de mulheres como seguidores também"

"Ele terá consigo fogo e água, mas na realidade o fogo será água fria, enquanto que o que parece ser água fria será, na realidade, fogo"

"Aqueles que o obedecerem entram em “seu Paraíso”, enquanto que aqueles que o desobedecem entram em “seu Inferno”"
"Haverá um objeto grosso com a aparência de uma unha em seu olho esquerdo"

"As letras "Kaa" "Faa" "Raa" aparecerão em sua testa, e serão decifradas pelos crentes, independentes de serem literados ou não"

"Ele terá uma complexão esbranquiçada"

"Dajjal clamará ser um profeta"

"Ele então clamará Divindade"

"Ele realizará façanhas não usuais"

"Ele viajará o mundo todo. Ele enviará chuvas sobre aqueles que crerem nele, o que em conseqüência fará as colheitas crescerem, árvores a darem frutos e o gado a engordar"

"Ele trará a seca àqueles que descrerem nele, resultando em fome e dificuldades para eles"

"Os tesouros ocultos transbordarão sob seu comando. Ele permanecerá na Terra por um período de quarenta dias; a duração do primeiro dia será de um ano, o segundo dia será igual a um mês, o terceiro dia será igual a uma semana e os dias remanescentes serão normais."

"Ele será incapaz de entrar em Meca porque os anjos estarão guardando a Cidade Sagrada e não será capaz de entrar em Medina porque existirão anjos guardando cada uma das sete entradas de Medina."


Shaam é a Síria, mas também tem dois outros significados :
 

- pode se referir a sua capital, Damasco.
- pode se referir a Al-Shaam, o Reino de Shaam ou Grande Síria, que abrangia a própria Síria, o Iraque (ler abaixo), o Líbano, Jordânia, Israel e parte da Península Arábica.

Al-Shaam corresponde a área demarcada em verde


O Iraque citado é o território que vai das fronteiras da atual Síria, até as margens do Rio Eufrates.

Isfahaan é uma cidade antiquíssima situada na Pérsia, atual Irã, a 350 kms de Teerã, e que foi fundada há Séculos atrás por judeus, nos tempos do cativeiro da Babilônia, quando Ciro II autorizou o regresso dos judeus a Canaã.

Seu nome original em persa é Dar-Al-Yahud ou "casa dos judeus".

 

Mesmo hoje, após a revolução islâmica no Irã e com toda a retórica de guerra com Israel, residem entre 30 e 50 mil judeus no Irã, e há grupos judeus ortodoxos, como o Neturei Karta, que mantém bons relacionamentos com Teerã.



Os Neturei Karta, Ortodoxos Judeus, combatem o sionismo
e são contrários a violência e a expulsão dos árabes



A constituição iraniana reconhece três minorias religiosas : os zoroastristas, os judeus e os cristãos.

Em Isfahan estima-se que vivam apenas 2 mil judeus, em uma cidade de 2 milhões de habitantes. Há também minorias cristãs assírias e ortodoxos armênios no Irã.

Então a Hadit nos diz claramente a região em que o ac nascerá, no Oriente Médio, e aonde primeiramente será “notado” : em Isfahan no Irã.

Estes serão seus primeiros seguidores, o gérmen de algo que crescerá muito em Poder e influência, segundo os textos proféticos corânicos e bíblicos.

Várias são citações interessantes, mas chamo atenção para as que falam sobre chuvas e secas "distribuídas" a aliados e inimigos, de acordo com a vontade do ac. Parece algo fantástico, mas pode estar se referindo a alguma arma climática.


A Marca da besta e Kaa, Faa, Raa



As letras "Kaa - Faa - Raa", que segundo o Corão estarão presentes na testa de ad-dajjal, encontram-se na raiz da palavra árabe KAFIR, que significa incrédulo.

Esta citação tem certa coincidência com a menção bíblica da “marca na fronte”. Além disso são TRÊS as letras, exatamente como são TRÊS os números que indicam o ac na Bíblia.

Conheço bem as teorias sobre implantes (microchips), mas para mim existe uma outra explicação.

O número 6 simboliza a perfeição nas partes, porque ele é o primeiro número cujos componentes, somados ou multiplicados, dão 6 como resultado:

1+2+3 = 6
1 x 2 x 3 = 6.

Por isso, simbolicamente DEUS fez o mundo em seis dias, e ao fazer cada parte Ele a declarava boa.

O número 7 simboliza totalidade, perfeição em si. É a soma de DEUS com sua criação, portanto 6 + 1 = 7; a perfeição nas partes com DEUS, Criador e Criaturas.

Mas o número 6 também pode ser obtido pela subtração do 7 – 1, ou seja, tirando-se DEUS da equação. E entenda-se isso como se queira : apostasia, culto a esquerda, materialismo, etc... .

Seria neste caso a (pretensa) perfeição sem DEUS, ou seja a falsidade completa. Logo o número 666 significa FALSO, FALSO, FALSO.

Aquele que clama a Divindade sem se-lo, o falso messias, o impostor.


** Atualizacao Novembro/2016 **

'Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos.' (Deuteronômio 6:4-8)


Srs.

o trecho acima de Deutrenomio 6 serve para novamente evidenciar que a marca da besta não é algo fisico, e sim Espiritual e comportamental, conforme exposto acima e também no Livro 'O que são Profecias'.

Assim como a aliança com DEUS se fez sem qualquer aparato, representando um SINAL na mão e na fronte, o mesmo se dará com a aliança com o anticristo.

Alguns amigos insistem em microchips e implantes, mas a Biblia dá respostas para boa parte de suas proprias perguntas, e sobre o SINAL na Fronte e na Mão, Moises o explica em Deuteronomio, e não se trata de nada fisico.

De fato quando compreendemos que o anticristo surgirá clamando a Divindade, buscando imita-LA, compreendemos que isso ocorrerá também por uma série de paralelos com a Biblia, que buscam iludir e confundir os incautos, e falar em um Sinal de aliança faz parte deste contexto.

E neste aspecto, o Corão endossa por completo este entendimento sobre ad-dajjal.

** FIM da atualizacao **


Dragão com chifres
 

Profeticamente o Apocalipse nos fala de um Dragão com Chifres.

É uma simbologia que nos fala de uma Confederação de Nações (e interesses), com líderes representados pelos chifres, conforme diz o próprio texto : "Os dez chifres que viste são dez reis, ..." (Apocalipse 17:12).

A sequência da narrativa bíblica nos fala que deste Dragão sairá uma Besta que falará blasfêmias, e que lhe será dado o poder de governar o Mundo por 42 meses.

Entendo que são 10 líderes que conferirão o Poder a um líder, e a este passarão a responder, e este líder sairá ao Mundo e falará blasfêmias e o Governará por 3 anos e meio (a 2ª metade da semana de Daniel).

Destas 10 Nações, 03 serão traídas e unificadas a "força" através de alguma ação do anticristo, e isso as unirá. (Daniel)

Esta Besta com chifres terá também outras Nações aliadas a ela, e iniciarão uma guerra em escala global.

E conforme dito, se os próprios elementos não viessem “em socorro” deste Mundo, pouco restaria : "E, se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias.".


O Papa e a "Mulher"


"E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo." (Apocalipse 12:17).

O termo “MULHER”, quando no contexto profético do NT, refere-se a “Esposa do Cristo” (a IGREJA), quando a mesma atua em direção a fidelidade dos ensinos de Jesus. É sua esposa fiel, sua “MULHER”.

Mas esta mesma “MULHER” quando se afasta dos ensinos de Jesus, lhe traí e torna-se a “PROSTITUTA”.

A "MULHER" e a "PROSTITUTA" são o mesmo personagem, que embora com posturas antagônicas, referem-se a “Esposa de Cristo”, a IGREJA original que depois se tornou a Igreja Católica Apostólica Romana.

Uma análise histórica revela esta dicotomia sem muita dificuldade.

Sobre “ao remanescente da sua semente”, o texto fala de todas as demais Igrejas e Denominações cristãs que surgiram a partir da Católica, ou seja, praticamente todas as demais vertentes cristãs que existem atualmente.

Ou como está em algumas Bíblias, “suas filhas”.

Alguns sugerem que o ac poderia ser um Papa, e dentre tantos motivos práticos que fazem isso não ter sentido, existe o fato de a Igreja não possuir exércitos, e se os possui-se certamente não os usaria contra a Europa, a Itália ou o próprio Vaticano.

São variadas as citações proféticas de diversas fontes que apontam para a impossibilidade disto, deixando claro que a Europa será invadida, e que esta guerra trará morte e destruição por todo o planeta, notadamente na Europa, Ásia e África, tendo termo somente por uma série de eventos ainda mal compreendidos e que beiram o fantástico.

Um Papa com poderio bélico, sendo confundido pelo Messias por judeus, talvez como Mahdi pelos islâmicos e como Jesus pelos cristãos ?! Dominando a ferro e fogo regiões do planeta, invadindo a Europa, destruindo Roma, o Vaticano, a Igreja Católica e perseguindo as demais Religiões ?!

Qualquer análise geral da questão demonstra que isso é fantasia, e mesmo o cenário mais provável para estes eventos é, até o momento, complexo de se entender e de se acreditar.



Leia ao final deste texto "O que é Mahdismo"

Leia também o texto "Apocalipse - Capitulo 17"





A Grande Cidade


Na terceira parte do segredo revelado em Fátima por Nsa.Sra., em 1917, segredo este revelado publicamente no Jubileu de 2000, e incorretamente ligado ao atentado de JPII na década de 1980, existe menção a uma Grande Cidade, e que também consta no Apocalipse : "E a mulher que viste é a grande cidade que reina sobre os reis da terra.”

Como já dito a "Mulher" é a Igreja, e na Grande Cidade no qual ela Reina sobre os reis da Terra, e ela reina assentada sobre sete cabeças, que segundo o próprio texto bíblico, são montes.

A cidade das sete colinas é Roma, portanto a citação é bem clara sobre qual é a “grande cidade” em questão.

A Grande Cidade, Roma,
a cidade das sete colinas

Lisboa também é conhecida como
a Cidade das Sete colinas.
As Profecias falam de Lisboa ?! ... pouco provável !!


Comparem (por exemplo) :

3º segredo em Fátima :

E vimos n’uma luz imensa que é Deus: “algo semelhante a como se vêem as pessoas n’um espelho quando lhe passam por diante” um Bispo vestido de branco “tivemos o pressentimento de que era o Santo Padre”. Vários outros Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma escabrosa montanha, no cimo da qual estava uma grande Cruz de troncos toscos como se fôra de sobreiro com a casca; o Santo Padre, antes de chegar aí, atravessou uma grande cidade meia e ruínas, e meio trêmulo com andar vacilante, acabrunhado de dor e pena, ia orando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; chegado ao cimo do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros e setas, e assim mesmo foram morrendo uns trás outros os Bispos, Sacerdotes, religiosos e religiosas e varias pessoas seculares, cavalheiros e senhoras de varias classes e posições.

Sob os dois braços da Cruz estavam dois Anjos cada um com um regador de cristal em a mão, n’êles recolhiam o sangue dos Mártires e com ele regavam as almas que se aproximavam de Deus.

*

João Bosco :

“ ... Naquele momento, viu-se uma multidão de homens, mulheres, velhos, crianças, monges, monjas e sacerdotes, tendo à frente o Santo Padre, sair do Vaticano ordenando-se como se fosse uma procissão. ...

Nesse meio tempo, chegou-se a uma pequena praça coberta de mortos e feridos, vários dos quais pediam conforto insistentemente.

Depois de ter caminhado por um espaço correspondente a duzentos nasceres do sol, cada um percebeu que não estava mais em Roma. ... Depois, quando pôs os pés na cidade santa, começou a chorar ante a aflição demonstrada pelos cidadãos, muitos dos quais haviam morrido. De volta a São Pedro, cantou o Te Deum ... As cidades, as vilas, os campos tinham sua população bastante diminuída. A terra estava pisada como se tivesse passado um furacão, um temporal, o granizo, e as pessoas iam umas ao encontro das outras dizendo com a alma comovida: Est Deus in Israel.

*


São Malaquias designou corretamente insígnias em latim para 112 Papas.
Sobre a última insígnia :

Petrus Romanus 

In persecutione. extrema S.R.E (Sancta Romana Ecclesia) sedebit Petrus Romanus qui pascet oves in multis tribulationibus: quibus transactis civitas septicollis dirueter, & Iudex tremedus indicabit populum fuum. Finis."

Pedro Romano 

"Na derradeira perseguição da Santa Igreja Romana estará sentado (no sólio de Pedro) Pedro Romano, que apascentará suas ovelhas em meio a múltiplas tribulações: as quais transcorridas, a cidade das sete colinas destruída, e o Juiz (que está) tremendo julgará o seu povo (o de Pedro). O fim."

Quando este texto foi escrito, estávamos no 111, Gloria Olivae (Bento XVI), de uma lista de 112 nomes.
Após sua renuncia, chegamos a ultima insignia da Lista (Papa Francisco).

**

Portanto estes textos citados falam dos mesmos eventos, que em linhas gerais evidenciam uma guerra alcançando os Muros do Vaticano, a fuga e morte do Papa da época, em um cenário de caos e desolação geral.

Diante de apenas este argumento, pode-se mesmo considerar seriamente, baseado em profecias, que o ac será um Papa ?


E o que provocaria a guerra ?


Dando apenas uma hipótese, assim como no Cristianismo temos locais sagrados, estes locais existem para o Islamismo, e que podem ser estopim de levantes, caso sejam danificados ou destruídos.

Vamos analisar três locais : Meca, Medina e Jerusalem.

Meca e Medina estão na Arábia Saudita e possuem, entre outras coisas, a Kaaba, estrutura sagrada para o Islã.

Ka'ba


E há outra estrutura igualmente sagrada, que é o Domo de Pedra, a Mesquita de Omar; construída na Colina do Templo em Jerusalém, aonde segundo a tradição, Muhammad ascendeu aos Céus.

O Domo da Rocha


Imaginemos que tal estrutura seja danificada ou mesmo destruída ?

A reação seria imediata nas massas islâmicas de todo o planeta, que exigiriam retratações e ações de seus líderes em resposta a questão. Também os líderes mais fanáticos de todos os lados rapidamente capitalizariam isso aos seus propósitos, como vemos hoje em ações extremistas; ou seja, vemos que eles são capazes e tem os instrumentos para fazerem isso.

Isso infelizmente é uma hipótese factível, já que exemplos disso no passado são muitos, em que um atentado ou tragédia é atribuído a outro povo ou etnia, para provocar a ira da maioria pela minoria ou contra algum grupo específico.

Há grupos de Judeus-Israelenses e de cristãos até já quiseram financiar a remoção PEDRA-POR-PEDRA da Mesquita de Omar para qualquer cidade que as lideranças Islâmicas indicassem, mas estas querem que permaneça aonde se encontra. Seria como sugerir a remoção da Capela da Natividade ou a de São Pedro em Roma.

Um atentado ao Domo do Rocha alegadamente praticado por cristãos, por judeus ou por alguma Nação em particular poderá desencadear um processo sem volta envolvendo forças beligerantes de várias Nações.

Como existe pressão por parte de alguns grupos para a construção do Terceiro Templo, os islâmicos realmente temem que a Mesquita seja propositalmente danificada ou destruída.

O Segundo e o Terceiro Templo, segundo as medidas
descritas por Ezequiel (Ezequiel 8:1).
No capítulo, Ezequiel é levado por DEUS a uma visão do Terceiro Templo, e lhe diz,
comparando com o Segundo Templo, tempo o qual Jesus foi rejeitado e crucificado :


"Então me disse: Viste, filho do homem, o que os anciãos da casa de Israel
fazem nas trevas, cada um nas suas câmaras pintadas de imagens?
Pois dizem: O SENHOR não nos vê; o SENHOR abandonou a terra.
E disse-me: Ainda tornarás a ver maiores abominações, que estes fazem." (Ezequiel 8:12)


A segunda guerra mundial, que matou mais de 50 milhões de pessoas e durou 6 anos, começou com a invasão da Polônia por Hitler. A agressão a uma Nação desencadeou uma reação em cadeia que levou o Mundo ao conflito, isso também porque havia a predisposição a este conflito.

Não estamos vendo novamente a humanidade caminhar a passos largos para o conflito e a guerra ?

Além deste teórico fato e dos ressentimentos religiosos e étnicos históricos, haverão outros motivos bem práticos; sendo os mais evidentes para mim relativos a Quebra de Safras e das Cadeias produtivas, resultando situações de graves crises sociais em vários países, muitos deles Islâmicos ou não-cristãos.

Este problema será resultante principalmente das mudanças climáticas, que a este ponto estarão afetando duramente o planeta.

Isso também é profético e bíblico, digo, a fome e o caos social, assim como as tragédias naturais intensificadas pelas alterações na dinâmica do planeta.

Estamos nós todos neste exato momento podendo constatar os efeitos danosos de nossas ações em nosso Mundo; isso é inquestionável.

Relatórios de todas as fontes e estudos indicam que os Limites de nosso Planeta foram atingidos, que a exploração deve ser reduzida, que a poluição e degradação ambiental apresentam dramaticamente seus efeitos em nossas vidas diárias; etc... .

Relatórios de todas as fontes demonstram que as Nações deste Planeta gastam muito e cada vez mais em formas de matar seus semelhantes; ou subjugá-los.

Somente o EUA gastou em 2006 a astronômica quantia de US$ 1,2 trilhões em sua “máquina de guerra”, o que é em numero redondos o PIB do Brasil. Somente para o orçamento de guerras de 2008 (termina agora em Setembro), para o Paquistão e Iraque, foram reservados US$ 245 bilhões.

As disparidades são imensas entre países ricos e pobres; a desigualdade gera desesperança e raiva, e a raiva cristaliza como ódio; ódio este que deságua em violência.

E as projeções para o futuro apontam para cenários ruins, por exemplo, até 2030, 60 % da população mundial não terá acesso a ÁGUA potável. A simples e boa água fundamental as nossas vidas !!

Só este fato já tem o potencial de causar vários conflitos.

Então estamos falando de fanatismo religioso, desinformação e manipulação das massas, forte marketing político e religioso, interesses econômicos; e fatores mais práticos como a Fome, que levará a instabilidade social e ameaçará Governos.

Muitos estarão ao lado da liderança chamada de anticristo, apenas por suas próprias motivações, e ao que me parece, profeticamente teremos um quadro factível para um grande levante bélico entre Nações.


* *

O que é Mahdismo ?


- a explicação é resumida e direta, não abrange todos os aspectos da questão; é uma visão geral e rápida.

- alguns conceitos estão disponíveis na Comunidade Profecias, espalhados em tópicos específicos que tratam de cada assunto citado. No Blog há textos resumidos sobre o Quiyamah, Pequenos sinais e Grandes sinais, assim como sobre o Retorno de Issa (Jesus) e sobre ad-dajjal.

- Sobre os "pequenos sinais", é o mesmo sobre o cenário sobre o qual Imã Mahdi surgiria.


Os islâmicos possuem o termo Quiyamah, que significa JULGAMENTO.

Este termo designa um período de tempo específico em que acontecerão diversos eventos comportamentais e sociais, os quais terão um termo em uma mudança radical da humanidade.

Este período é também conhecido, pelos islâmicos, e por motivos óbvios, como o Fim dos Tempos.

Para sinalizar o período do QUIYAMAH existem dois conjuntos específicos de profecias, chamados de “Os pequenos sinais” e “Os grandes sinais”.

Como exemplo de “pequenos sinais” :

- Haverá muita hipocrisia, e a mentira será uma prática comum;
- Os homens obedecerão as suas mulheres e desobedecerão as suas mães, ou seja, darão preferência às suas mulheres do que as suas mães;
- Os fundos públicos serão considerados propriedades privadas;
- A opressão tornar-se-á dominante, as pessoas serão respeitadas pela sua força e temor da sua brutalidade e não pela sua justiça;
- As pessoas desejarão a morte por causa da prática de maldades (suicídios) e a falsidade tornar-se-á exuberante;
- Haverá muitas matanças entre as pessoas sem justificação (as guerras, assassinatos, etc);

Como exemplo de “grandes sinais” :

- a vinda de Imã Mahdi
- o aparecimento da ad-dajjal


Em outras palavras, o Quiyamah é o similar islâmico do Livro da Revelação, ou Apocalipse. Há diversos pontos em comum com o entendimento cristão deste período, embora é lógico, hajam discordâncias. Dois aspectos interessantes de semelhança falam sobre o retorno de Issa (Jesus) e o surgimento do ac (Al-Masseh-Ad-Dajjal).

O ponto de vista do Islã sobre Jesus (Issa no Corão), situa-se entre os dois extremos :

- O dos judeus, que rejeitaram a Jesus como um Profeta de Deus;
- O dos cristãos que consideram-no o filho de Deus e o adoram como tal.

O Islã considera Jesus um dos grandes Profetas de Deus, e o respeita tanto quanto a Abraão, Moisés e Muhammad, mas não o considera DEUS e nem seu filho, como na visão cristã.


Posto estes conceitos básicos que ajudam no entendimento, o MAHDISMO é considerado um movimento religioso do tipo messiânico, pois o retorno do Imã Mahdi representa de certa forma a crença islâmica na vinda do libertador.

O movimento já foi usado em vários momentos da história islâmica, como promotor da união contra inimigos externos, mas foi principalmente “ressuscitado” com grande força por volta do Século 19, quando do período de colonização do Oriente Médio e Norte da África pelas nações européias.

No período do Quiyamah ou final dos tempos, um grande número de ideologias que negam a existência de ALLAH (DEUS EM ÁRABE) trarão ao Mundo uma grande degradação. As pessoas buscarão um propósito para sua existência, e conseqüentemente irão ter um grande sofrimento espiritual e estarão em um forte colapso moral. Ocorrerão desastres terríveis, guerras e sofrimento, e as pessoas buscarão uma resposta para a questão : “Como podemos ser salvas ?”.

Este periodo do final dos tempos será também o período o qual a Religião será corrompida.

O Islã será pervertido de sua forma original por um grande número de supertições e falsas doutrinas que lhe serão incorporadas. Muitas pessoas que irão agir com hipocresia e conservadorismo sobre uma máscara de piedade, tentarão espalhar supertições cada vez maiores e prejudicarão o entendimento da real moralidade que reside no coração do Islã. Filosofias que encorajam o ateísmo e a oposição a Religiosidade de um lado, e as forças conservadores que tentam destruir as Religiões pelo lado de dentro, de outro lado, irão levar a humanidade em direção a trevas terríveis.

Durante o caos terrível do final dos tempos, ALLAH usará um servo que possue moralidade superior, conhecido como MAHDI (“o guia para a verdade”), e ele orientará a humanidade de volta a direção da moralidade. A primeira tarefa de MAHDI será promover uma guerra de idéias dentro do Mundo Islâmico e fazer com que aqueles mulçumanos que se afastaram da essência verdadeira do Islã, que retornem a crença verdadeira e a moralidade. Neste ponto, MAHDI terá mais três tarefas básicas :

1. Combater todos os sistemas filosóficos que negam a existência de ALLAH e que dão apoio ao ateísmo.

2. Combater a supertição, libertando do Islã do jugo dos indivíduos hipócritas que o corromperam, e então revelar e implementar a verdadeira moralidade islâmica baseada nas regras do Corão.

3. Fortalecer todo o Mundo islâmico, politicamente e socialmente, e então trazer sobre ele a paz, segurança e bem-estar pela solução de todos os problemas sociais.

De acordo com várias Hadiths, o Profeta ISSA (Jesus) retornará a Terra neste tempo, e chamará cristãos e judeus a abandonar suas supertições e juntar-se ao Corão. Se os cristãos o ouvirem, os mundos islâmico e cristão se reunirão sobre uma só Fé e o Mundo experimentará um período de grande paz, segurança, felicidade e bem estar conhecido como a “Era dourada”.


**




(clique nas imagens do Blog para amplia-las)





Compre o Livro "O que são Profecias"

Compre o Livro "O que são Profecias"
Links para Compra do Livro

Participe do MidiaeProfecia Espaços

Contato

Minha foto
Curioso sobre Profecias e assuntos relacionados.