O verdadeiro objetivo do conhecimento profético se alcança apenas pela reforma interior, e não pelo conhecimento acumulado em si mesmo.

sexta-feira, 28 de março de 2014

Termostato desregulado



“Somente depois que a última árvore ter sido cortada, 
somente depois que o último rio estiver contaminado, 
somente depois que o último peixe for pescado, 
somente então vocês entenderão, 
que o dinheiro não pode ser comido”.

Cree Indian Prophecy


**

Olá a todos, 

em 2008 comentei na agora extinta Comunidade Profecias no Orkut que "O termostato (do planeta) está desregulado porque o que era não tem sido mais, desde que há registros históricos e a civilização se faz presente. Os ciclos climáticos e fenômenos da mesma natureza tem se modificado e/ou se intensificado, o que indica uma mudança e a busca natural para o reequilíbrio, já que a natureza se auto-regula."

O comentário foi fruto da observação e do registro das grandes variações de "quente e frio" que vem ocorrendo ao longo de alguns poucos anos, no extinto Boletim MidiaeProfecia, do Yahoo.

Ainda em 2008, escrevi: "Já há alguns anos noto que tem havido uma aparente intensificação das ondas de frio no hemisfério norte, e neste ano não está sendo diferente. Basta pesquisar por aqui que se perceberá um nítido padrão, bem como este mesmo comentário feito em tempos anteriores. Eu digo, na minha ignorância, que o "termostato do planeta" está desregulado, e causa excessos de frio e quente com cada vez mais frequência. 

Neste ano (2007/2008) noto que além de partes da Europa e do EUA, a América Central está sendo atingida por uma forte e incomum onda de frio, baixando muito a temperatura em locais inesperados como República Dominicana e Cuba. Mesmo o México, a quente Califórnia e a ensolarada Flórida tem sentido os efeitos do frio."
**

O acima foi escrito em 05 de Janeiro de 2008 e dias depois saiu a notícia sobre recordes de frio no Oriente Médio, em países como o Irã, Emirados Árabes Unidos, Catar e Arábia Saudita. E em 11 de janeiro de 2008 houve a surpreendente informação de que nevou em Bagdá pela primeira vez desde 1914. 

Considera-se que o ano de 2008, foi o mais frio  na média desde o ano 2000. Ainda em 2008, registrou-se uma forte onda de frio na Índia que fez dezenas de vitimas fatais. Em 2013 novamente o Oriente Médio sofreu com uma forte onda de frio.

E em 2020, em 10 de Fevereiro, novamente nevou em Bagdá depois de 12 anos, a segunda vez no Século 21. Também nevou em Kerbala, local sagrado para os xiitas ao sul de Bagdá.

Sobre a datação da ocorrência de neve em Bagdá em 1914, consegui apenas apurar o ano, mas não consegui comprovar isso com registros de Jornais, Revistas ou fotos.

Algumas manchetes de 2008 sobre a ocorrência de neve em Bagdá, afirmam que a neve de 2008 foi a primeira a cair na cidade desde sempre. Já outras afirmam que foi a primeira neve em 100 anos, sem no entanto informar a possível ocorrência de 1914.  

Mas o que todos concordam é que no Século 21 e em apenas 20 anos, já nevou duas vezes na capital do Iraque. Considerando a ocorrência de 1914 verdadeira, nevou em Bagdá apenas uma vez em todo o Século 20. 

Neve em Bagdá em 2008, pela primeira vez na história?!


*
Em 09 de Janeiro de 2018, na Argélia, houve neve caindo no deserto do Saara, o mais quente do mundo.

Uma rara massa de ar gelado atingiu a cidade de Ain Sefra, cobrindo de branco partes das dunas na parte da manhã. As temperaturas subiram ao longo do dia e a neve derreteu. A cidade de Ain Sefra é conhecida como porta de entrada para o deserto de Saara.

Foi a quarta vez em 37 anos (desde 1983) que uma nevasca atingiu essa região do Saara. 


No dia 07/02/2020, foi registrado o dia mais quente desde que se mede a temperatura na Antártica, com 18.3 graus centigrados. 

Apenas dois dias depois, no dia 09/02/2020, o recorde de temperatura na Antártica foi novamente superado com 20,75 graus, mais de dois graus acima da marca anterior. 

Segundo o Dr. Carlos Schaefer, pesquisador brasileiro integrante do grupo, o resultado não tem ligação direta com mudanças climáticas, pois a grandeza obtida é única e não faz parte de um conjunto de dados em longo prazo. 

(ver mais abaixo sobre "Tempo" e "Clima").






Ano após ano
(gráfico atualizado em 2020)


Então ano após ano isso vem se cumprindo, é fácil observar através dos registros do Boletim MidiaeProfecia, e estes registros são bem recentes; mas principalmente pode ser observado através de nossos Jornais e telejornais diários.

Soma-se ao comentário sobre mais extremos de frio e calor, principalmente no hemisfério norte, que ocorre em paralelo uma intensificação de chuvas e secas em diversos locais do Mundo, inclusive no Brasil.

E estes extremos de frio, como o que ocorreu no EUA no inverno 2013/2014, levam algumas pessoas a pensar que não estamos em um processo de aquecimento global, e sim de resfriamento. 

É exatamente o contrário!!


Algumas mídias tem sido tendenciosas ou ainda confusas em suas abordagens, e trazem mais dúvidas do que conclusões.  Outras mídias tem sido pagas para refutar os dados da mudança climática. 

Se você pensar friamente, e desculpe o trocadilho, vai perceber que até mesmo os extremos de frio são eventos climáticos acima das médias históricas, ou seja, fora do padrão usual, e se continuarem a ocorrer desta forma ou se intensificarem, trarão ainda mais prejuízos e mortes. 

Alguns podem Negar e Mentir o quanto desejarem, até para si mesmos, mas a Natureza é imune a propagandas, não acessa a WEB e nem assiste TV, ela apenas se ajusta.

**

Atualização em 02/2021

Em fevereiro de 2021, uma das principais manchetes do Mundo fala da onda de frio no Texas, a ponto do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, aprovar em 20 de fevereiro de 2021, uma declaração de desastre no Texas, atendendo ao pedido do governador Greg Abbott. O estado já está em estado de emergência por conta das fortes tempestades de neve que atingem o estado desde o dia 11 de fevereiro. Ontem (19/02/2021) Biden ordenou o envio de assistência federal a mais de 60 condados afetados pela onda de frio intenso e nevascas.  (Matéria Jornalística)

*

No Oriente Médio, Jerusalém amanheceu coberta por neve após seis anos, em fevereiro/2021. A nevasca começou a cair na  capital israelense na noite de quarta-feira (17/02/2021) e deixou as autoridades em alerta. O transporte público chegou a ser interrompido e bloqueios foram colocados na saída da cidade, conforme o jornal Haaretz. Além disso, a abertura das escolas também foi postergada e estradas fechadas para circulação.  (Matéria Jornalística)

*

No Brasil, uma das noticias em Fevereiro/2021, é que o Centro-Oeste e Sudeste brasileiros têm chuva abaixo da média em toda a última década

A chuva nas regiões Sudeste e Centro-Oeste do Brasil — onde estão as hidrelétricas responsáveis por mais da metade da energia gerada no país — ficou abaixo da média em todos os anos da última década, apontam dados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), órgão ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A falta de chuva nas duas regiões vem contribuindo para o encarecimento das contas de luz em todo o país.

De acordo com a Associação Brasileira dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), entre 2011 e 2020 as tarifas de energia para consumidores residenciais brasileiros, tiveram aumento médio de 74,3%, passaram de R$ 331,00 para R$ 577,00 por megawatt-hora (MWh). (Matéria Jornalística)

Foram 74 % de aumento na energia elétrica devido a falta de chuvas no Brasil, em apenas 9 anos. E ainda tem quem ainda pense que as mudanças climáticas não afetam seu dia-a-dia. 

Imagine o efeito cascata de apenas este Custo, sobre a Sociedade brasileira e sobre seu bolso?


Mais abaixo há comentários de 2014 sobre a forte seca que assolou o sudeste do Brasil no biênio 2013/2014.

Ainda em Fevereiro de 2021, o estado brasileiro do Acre já tem quase 130 mil pessoas atingidas pela cheia de rios na capital e no interior do estado.  A enchente dos rios Acre, Juruá, Envira, Iaco, Purus e outros mananciais, além do transbordamento dos igarapés, atinge centenas de famílias. Esses moradores foram levados para abrigos montados em escolas, igrejas, ginásios, quadras esportivas e barcos. Além dos desabrigados, há várias famílias desalojadas. 

O governador do Acre, Gladson Cameli, decretou na terça-feira (16/02/2021), situação de emergência devido à cheia dos rios e também pelo surto de dengue, crise migratória na fronteira do Acre com o Peru e a falta de leitos de UTI para pacientes com Covid-19. (Matéria Jornalística)

Em Maio de 2022, o numero de mortos devido a enchentes e deslizamentos, causados por chuvas no Brasil, superou o numero de vitimas fatais de todo o ano de 2021. (Matéria Jornalística - Junho/2022)

Mais abaixo há comentários de 2014 sobre uma das maiores enchentes que assolou o Acre, no biênio 2013/2014.


Atualização em 07/2021

Em Julho de 2021, cientistas anunciam que o  planeta Terra está se aproximando de um 'ponto sem volta' climático, alertaram centenas de cientistas em um estudo divulgado nesta quarta-feira, 28/07. 

No documento, publicado pela revista BioScience, os especialistas afirmam que os governos fracassaram na tentativa de combater a mudança climática, provocada pela “superexploração da Terra”.

No estudo, os pesquisadores 31 “sinais vitais” do planeta para avaliar as condições atuais, entre eles taxas de desmatamento, emissões de gases do efeito estufa e derretimento de geleiras. Segundo os cientistas, pelo menos 18 desses índices atingiram níveis recordes preocupantes em 2021.

Apesar da redução temporária das emissões de gás devido à pandemia de Covid-19, as concentrações de CO2 e de metano na atmosfera alcançaram níveis recordes em 2021. Geleiras na Antártica e na Groenlândia estão derretendo 31% mais rápido do que há 15 anos, as temperaturas do oceano atingiram os níveis mais altos desde 2019 e o desmatamento da Amazônia brasileira também bateu um recorde em 2020.

Ainda segundo o estudo, a degradação florestal associada a incêndios, secas e extração de madeira está fazendo com que partes da Amazônia brasileira deixem de atuar na absorção do gás carbônico e se tornem fonte do gás. Os pesquisadores afirmam ainda que as populações de animais como vacas e ovelhas atingiram níveis recordes, totalizando mais de quatro bilhões, e já representam uma massa superior a de todos os humanos e mamíferos terrestres selvagens combinados.  (Matéria Jornalística)

Mas aqui entre nós, penso que não estamos nos aproximando do "ponto sem retorno", já passamos dele.

Cientistas são "gentis" quando dizem isso, porque na verdade, a questão agora me parece ser a de minimizar os prejuízos e se adaptar a nova realidade climática que se impõe, embora nem sequer tenhamos parado de poluir e degradar. 

Embora em Fevereiro ultimo, áreas do EUA, Europa, Ásia e mesmo do Oriente Médio, tenham experimentado um frio intenso e incomum, conforme comentado acima neste texto, apenas 4 meses depois, por exemplo, a América do Norte experimentou o mes mais quente já registrado.  

O oeste do Canadá, o Estados Unidos e o México viram os termômetros cravarem 50ºC . Na Finlândia foram registrados 34,7ºC em plena Lapônia, a terra de Papai Noel, e na Sibéria, Rússia,  fez 48ºC. 

O intenso calor no hemisfério norte em junho e que continua em Julho, trouxe, dentre outros efeitos, centenas de incêndios em países como Canadá, EUA, Turquia, GréciaItália e Russia. Ocorreram chuvas intensas na Europa e na China, também várias mortes.

Em contraponto, o hemisfério sul em sua porção mais habitada, o sul da América latina, enfrenta um frio incomum

No Brasil por exemplo, agora em julho,  especificamente em 28/07, nevou ou caiu chuva congelada em pelo menos 43 municípios na região Sul. Dia 27/07, o Inmet, Instituto Nacional de Meteorologia,  emitiu alerta de perigo para baixas temperaturas, em 16 estados e no Distrito Federal. 

Atualizações em 08/2021

Novo relatório de painel internacional de cientistas diz que influência humana no clima é “inequívoca” e que aumento de temperatura pode superar 1,5 ºC já em 2040. As mudanças climáticas são reais, causadas pelo homem, estão se intensificando numa velocidade espantosa, sem precedentes nos últimos 2 mil anos (pelo menos) e com consequências potencialmente gravíssimas para os seres humanos e o planeta, incluindo a intensificação de tempestades, secas e ondas de calor extremo. (Matéria Jornalística)

Itália registra 48,8 °C e pode bater recorde europeu. 
Se confirmada pelo serviço meteorológico italiano, temperatura na Sicília será a mais alta já registrada no continente. Onda de calor vem provocando graves incêndios na Grécia, na Turquia, na Albânia e na Argélia. (Matéria Jornalística)

Europa em chamas: quatro motivos por quê. 
Com quase metade do verão europeu transcorrido, a área queimada por incêndios florestais que devastam os Bálcãs, Itália e sudeste do Mediterrâneo já supera as médias anuais. Cientistas culpam a mudança climática. (Matéria Jornalística)

Brasil - Com crise hídrica, Aneel mantém em agosto/2021 bandeira vermelha 2, a mais cara. 
"Em julho, as afluências nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) continuam entre as mais críticas do histórico. Agosto inicia-se com igual perspectiva hidrológica, com os principais reservatórios do SIN em níveis consideravelmente baixos para essa época do ano", diz a agência. A mudança vem num momento em que os principais reservatórios de água no país estão num nível crítico, devido à falta de chuvas. (Matéria Jornalística)

A reversão dos polos magnéticos da Terra está causando as mudanças climáticas?
A ciência reconhece dois fenômenos em curso no planeta: as mudanças climáticas, provocadas pelo aumento gradativo da temperatura média global; e o deslocamento dos polos magnéticos da Terra. Os dois coincidem com o fato de que estamos vivenciando com mais frequência eventos extremos, como as inundações históricas ocorridas na Alemanha em julho deste ano, os incêndios devastadores em países da região do Mediterrâneo, na Europa, e o derretimento de geleiras no Ártico. (Matéria Jornalistica)   

**     **
**

O Motivo



O motivo pelo qual isso acontece, e não havia intuído até meados de 2008, segue em termos bastante compreensíveis.

Não é uma explicação científica, não sou cientista.

É apenas o que eu percebo como o fator mais relevante disso tudo, e me sinto tranquilo em comentar justamente porque o padrão não só permanece como se intensifica, e isso foi previsto conforme os registros de 6 anos atrás (este texto foi originalmente escrito em 2014).

O frio está se intensificando (em alguns locais e sazonalmente) porque a evaporação da água está aumentando, e a evaporação está aumentando porque a Terra está se aquecendo.

Então, apesar de estar fazendo mais frio no inverno, inclusive em locais aonde isso não ocorre tradicionalmente, notadamente no Hemisfério Norte, a resposta é o aquecimento global que vem afetando o "Ciclo das águas".


Este aumento de frio é na verdade, uma evidência do aquecimento devido a maior ingestão de energia no sistema natural, através do vapor d´água. E o Hemisfério norte está sendo mais afetado pelos extremos de frio e calor, porque a distribuição de terras e águas neste Hemisfério é inversa a do Hemisfério Sul. No Sul temos mais água, no Norte mais terra.

Portanto a dinâmica da  troca de calor e frio entre os Oceanos e as áreas continentais, acontece de uma maneira diferente nos Hemisférios Norte e no Sul do planeta, e certamente isso explica porque o Norte está sendo mais afetado pelos extremos do que o Sul.

Cabe ainda dizer que no caso das ondas extremas de frio, existe também a questão de que há áreas amplamente habitadas nas regiões mais próximas da calota polar no Ártico, algo que não acontece no Hemisfério Sul, e por esta razão, mais pessoas são impactadas.

Trocas de calor e frio


E é também esta mesma dinâmica que faz com que haja a intensificação de chuvas aonde há a impossibilidade de neve, e isso também afeta ventos e a própria distribuição de umidade na superfície da Terra, também trazendo secas históricas, como a que ocorreu no nordeste brasileiro até meados de 2013, ou ainda a que ocorre neste momento no oeste do EUA, lembrando também a seca bem aqui em São Paulo, aonde os níveis dos reservatórios atingiram níveis tão baixos que nunca foram atingidos (menos de 14% de reserva), isso enquanto o estado do Acre está isolado pela maior cheia que se tem registro.

Sistema Cantareira de fornecimento de água, SP, março de 2014

Cheia histórica no Acre - Rio Branco - Março de 2014

**

CO2, Metano, CFCs (Clorofluorcarbonetos), Ozônio e Ácido Nítrico
O motivo básico da mudança na dinâmica das trocas de calor e frio no Planeta, é a mudança climática promovida pelo acumulo de gases de efeito estufa, que retém o calor no Sol na atmosfera, gerando o efeito estufa e trazendo o aquecimento global, mas isso não se traduz apenas em quente, já que a natureza é um sistema que se autocompensa.


O 'TEMPO' é um estado físico e momentâneo das condições atmosféricas, em um determinado local. É a influência condições atmosféricas ou meteorológicas, sobre a vida e as atividades humanas.

O 'Tempo' pode se traduzir em frio ou calor extremos, em variações bruscas de temperatura, umidade relativa do ar e pluviosidade, intensificando-se os eventos de acordo com o período do ano. Por exemplo, ainda não houveram ondas extremas de Frio no Verão, nem ondas extremas de calor no Inverno.

O 'CLIMA' é o estudo mais extenso (um minimo de 30 anos) para determinar o conjunto dos tipos de 'Tempos' mais comuns em um determinado lugar, ou ainda no planeta inteiro. 

O 'Clima' abrange uma quantidade muito maior de dados, representa um padrão geral das condições meteorológicas (variações anuais de temperatura, umidade, pressão do atmosférica, ventos), que se alteram de acordo com as estações do ano. Isso é fundamental para se poder prever eventos oriundos das condições de 'Tempo',  para uma determinada localidade, região ou todo o planeta.

*

Até o momento esta alternância de extremos quase sempre tem obedecido a padrões sazonais, ou seja, muito frio no inverno, muito calor no verão, e etc... , mas até quando?

Porque chegará o momento, e podemos estar na iminência disso, em que ocorrências sairão da sazonalidade, e aí os prejuízos serão ainda maiores do que já são, e conseqüências indesejáveis irão advir disso, como a fome e o desemprego. 

Embora a maioria das pessoas perceba as mudanças climáticas em andamento e se preocupe com elas e com a degradação ambiental, infelizmente esta mesma maioria não parece manter um grau de interesse no tema, além do trivial de rodas de bate-papo, e opta em não pensar muito sobre isso. 

Compreendo esta opção diante das necessidades diárias que nos tomam tempo e recursos, mas cabe compreender que o que ocorre agora pelo Mundo, ameaça o nosso estilo de vida, nossa própria sobrevivência e a dos nossos descendentes. 

**

H2O

Por exemplo, quando as pessoas pensam em ÁGUA, acham que trata-se apenas de água para beber, e alguns até surgem com sugestões inviáveis para o suprimento do recurso, levando em conta apenas este fator. Talvez no futuro próximo seja até possível continuar suprindo os 8 % de consumo residencial de água no Brasil, mas como suprir os 70% necessários na agropecuária, ou os 22% da indústria?

Então o que estes números representam?

Que uma redução do recurso água traria de imediato a quebra de produção de setores vitais de nossa economia, e isso traria desemprego e desabastecimento, elevação dos preços, crises sociais e por fim a fome a milhares de pessoas.

Portanto, muito antes de chegarmos a efetiva sede em nossas casas, nossa Sociedade "secará" pela improdutividade, pela crise, pelo aumento absurdo de preços e pelo desemprego.

**

ciclo hidrológico é a principal engrenagem do Clima na Terra

Se a gente comparar o Ciclo Hidrológico a um 
Motor a combustão, o Sol é a gasolina e nossa 
atividade frenética no planeta é o Nitro (NOS).

A mudança no ciclo hidrológico tem trazido mais extremos de frio e calor, chuva e seca, assim como outras ocorrências climáticas fora de padrão histórico, e para observar isso basta lermos as manchetes dos jornais e as TVs.

Isso é o "termostato do planeta", ele está desregulado e nós contribuímos diretamente para isso, desde nossas emissões danosas na atmosfera, terras e mares, até o desmatamento que afeta a Transpiração vegetal e impacta diretamente na umidade do ar e no ritmo das chuvas, somado tudo isso a degradação ambiental de esgotos, resíduos industriais, produtos químicos, plásticos, pneus e muito lixo lançado no meio-ambiente.


A Terra está mudando, e o aquecimento da biosfera, por contraditório que pareça, gera também a intensificação sazonal do frio em várias regiões.

As emissões não diminuem, a devastação da natureza não acaba, então me parece questão de tempo até que os limites de normalidade climática que conhecemos sejam rompidos. E como dito, a partir disso ocorrerão problemas enormes em nossas Sociedades. 







** **

Bem Vindo ao Antropoceno

Antropoceno é um termo usado para descrever o período mais recente na história do Planeta Terra, a Era dos Humanos na Fase Industrial. 

O termo foi cunhado pelo Prêmio Nobel de Química de 1995, o Dr. Paul Crutzen.  Um trecho do "Earth System Science in the Antropocene", Estudo do Dr. Crutzen, pode ser lido aqui.

Não há ainda uma data de início precisa e oficialmente apontada, mas muitos consideram que o Antropoceno começa no final do Século XVIII, quando as atividades humanas começaram a ter um impacto global significativo no clima da Terra e no funcionamento dos ecossistemas. Esta data coincide com o aprimoramento do Motor a vapor por James Watt em 1784.  

No Antropoceno a humanidade danificou o equilíbrio existente em todas as áreas naturais do planeta. Alterou a química da atmosfera, promoveu a acidificação dos solos e dos oceanos, poluiu rios, lagos e mares, reduziu a disponibilidade de água potável, ultrapassou a capacidade de regeneração da Terra e está promovendo uma grande extinção em massa das espécies.  

O Relatório Planeta Vivo 2018, divulgado pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF) no final de outubro, mostra que o avanço da produção e do consumo da humanidade, tem provocado uma degradação generalizada dos ecossistemas globais e gerado um ecocídio da vida selvagem do planeta: as populações de vertebrados silvestres, como mamíferos, pássaros, peixes, répteis e anfíbios, sofreram uma redução de 60% entre 1970 e 2014.

Em 2019, em 29 de Julho, a Terra atingiu o ponto máximo de uso de recursos naturais que podem ser renovados sem ônus ao meio ambiente, o mais cedo de toda a série histórica, medida desde 1970. Em 2018 a data foi em 01 de Agosto.

Isso significa que todos os recursos usados para a sobrevivência (água, mineração, extração de petróleo, consumo de animais, plantio de alimentos com esgotamento do solo, entre outros pontos) entram em uma espécie de "crédito negativo" para a humanidade a partir deste ponto, medido anualmente. 

Para manter o mesmo padrão de consumo atual, seria necessário hoje 1,75 planeta Terra. 
Temos apenas UMA!!


Em 2021, ainda durante a pandemia, a pegada ecológica total da Terra aumentou 6,6% em relação a 2020, fazendo com que o Dia da Sobrecarga ocorresse em 29 de julho. 

Em 2019 era necessário 1,75 planeta para sustentar nosso padrão de consumo. Em 2020, com a pandemia, esse número caiu para 1,6, de acordo com a GFN (Global Footprint Network), organização internacional responsável pelo cálculo. Agora o número voltou a subir: precisamos de 1,7 planeta.   (matéria jornalistica de 2021)

** **

O que é ‘pandemiceno
(Maio de 2022)

A ideia de um pandemiceno surgiu em um artigo de abril/2022 da revista The Atlantic feito pelo jornalista Ed Young, dono do prêmio Pullitzer de 2021 por suas matérias sobre a covid-19.

A matéria tem como base um estudo publicado na revista Nature. De acordo com o texto, o modelo de experimentação testado por cientistas de diversas universidades, mostra que com o aumento da temperatura média do planeta Terra, novos vírus de potencial desconhecido irão, inevitavelmente, atingir a humanidade e causar novas epidemias.

Pandemia de covid-19 pode ter inaugurado era de sequenciais pandemias causadas pelas mudanças climáticas.

O aumento frequente no número de pessoas entrando em contatos com vírus levaria a mais pandemias e inevitavelmente iria inaugurar uma era de proliferação intensa de vírus entre seres humanos, levando a uma “Era das Pandemias”, ou, nos termos de Ed Young, um “pandemiceno”.

Interações humanas com animais silvestres, causadas pela migração de animais para outros habitats, impactados pelas mudanças climáticas e pela atividade humana, podem acabar criando vírus mais complexos, resistentes e desconhecidos

“A parte mais preocupante disso é que a simulação mostrou que essas tendências já estão acontecendo e que  mesmo que todas as emissões de carbono cessem hoje, nada vai mudar. O impacto do aquecimento global nos hospedeiros e vetores de vírus não pode ser detido. Já começamos isso, e já está em andamento neste mundo”.  (matéria jornalistica)




(clique nas imagens do Blog para amplia-las)

Compre o Livro "O que são Profecias"

Compre o Livro "O que são Profecias"
Compre o Livro "O que são Profecias"

Perfil do Autor no Facebook

Perfil do Autor no Facebook
Perfil do Autor no Facebook