O verdadeiro objetivo do conhecimento profético se alcança apenas pela reforma interior, e não pelo conhecimento acumulado em si mesmo.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Ufolatria


(clique nas imagens do Blog para amplia-las)


Ufolatria 

é a substituição ou a mistura de supostos ets, com profetas, anjos e até mesmo DEUS.

Esta linha de pensamento lida com elementos controversos que misturam aspectos da Fé tradicional, com supostas comunicações ou aparições de seres extraterrestres.

Talvez inspirados pela obra literária "Eram os deuses astronautas", que busca evidencias de contatos extraterrestres ancestrais e traça teorias para explica-las, este tipo de pensamento, a ufolatria, leva ao entendimento extremo do conceito, e faz com que tudo tenha origem extraterrestre, da origem da vida na Terra a experiências de quase-morte, passando por "profecias" e "ensinamentos".


Antigos Astronautas? Antigas Civilizações? Ou Ambos?



 ** Atualizacao Novembro/2016 **

Hoje a série 'Alienigenas do Passado' (Ancient Aliens), apresentada por Giorgio A. Tsoukalos exibida desde 2010 no History Channel, faz bem a promoção deste conceito.


**

A ufolatria compõem 3 dos 6 aspectos principais da Exoteologia :

- Superioridade extraterrestre.
A possibilidade de contato com seres intelectualmente, culturalmente, geneticamente, tecnologicamente e espiritualmente superiores. Como lidar com estas questões e suas implicações nas Religiões e modo de vida na Terra?

- Missão espiritual de ETs.
Considerando os supostos contatos, estariam os ets em algum tipo de “missão espiritual”? 
Outro desdobramento desta questão é sobre as visões de extraterrestres luminosos ou não-corpóreos tem levado alguns homens a considerá-los semi-deuses. Haveria veneração a estes seres em caso de contato pleno?

D) ETs e sua interferência no desenvolvimento humano.
A evolução humana, em algum momento do passado remoto, teria tido interferência direta de extraterrestres? Então como encaixar DEUS neste processo ?



Afirmações diversas, Suicidios e Fanatismo


     Então eu tenho visto, ao longo dos anos, diversos exemplos e variações da ufolatria, e demorei a perceber que "se comporta" como qualquer outra FÉ, porque assim como em outras Religiões, se assumem pressupostos que em foro intimo fazem sentido e podem ser motivação de vida e até de violência.

O que eu estou dizendo não é novo, temos o Heaven´s Gate, os Raelianos e até a Cientologia falando disso, mas a ufolatria não é uma Religião organizada, é um sentimento compartilhado por muitos, é algo diferente do entendimento racional da possibilidade de vida exógena, e mesmo dos eventuais contatos efetivos com tais seres.

A ufolatria trata da mistica, de crença, do "querer acreditar", assim como tantas outras afirmações de outras Religiões, a ufolatria tem que abastecer seus "fieis" com material continuo, visando se auto-sustentar, se manter "viva".

Portanto variadas afirmações são feita de forma recorrente por esta linha de pensamento, e pelo o que eu posso apurar, até o momento são poucas as correntes ou os pesquisadores que defendem este conceito, que se preocupam com sua coerência.

Então variadas "fontes" afirmam o que querem, e como nada do que afirmam ocorre ou é verificado, novamente surgem afirmações que buscam justificar as afirmações anteriores, e isso segue indefinidamente, reciclando datas e afirmações que novamente não se cumprem ou não se sustentam, e isso não parece incomodar a quem estuda o tema, pelo contrário, os encoraja a "continuar" divulgando coisas que não procedem.


Isenção

A ufologia e a ufolatria tem aspectos em comum, mas a postura é talvez o principal diferencial entre elas, e isso é basicamente composto de um elemento : Isenção.

Pois assim como para quem tem Fé, pode ser dificil ou mesmo impossível dissociar o sentimento religioso do conhecimento religioso, para a ufolatria dá-se o mesmo, porque tudo tem que ser verdade, pois do contrário, não tem porque existir.

Então e em outras palavras, o Equilibrio, o Bom Senso, a Lógica e a Racionalidade, o Método Científico são pressupostos básicos para a ufologia séria.

Para a Ufolatria, estes aspectos são dispensáveis, assim como é dispensável se provar a Ressureição ou o Inferno para o crente que assim Crê.


**

E as tais Mensagens espirituais dos ets?


Este trecho é direcionado, principalmente, para aqueles que concordam e absorvem estas mensagense se as buscam, admitem uma realidade fora da sua, de cunho
 espiritual / transcendental.

Você considera que a consciência ao morrermos, vai para o inferno ou pro Céu e pronto, ou ainda que descansa em sono inconsciente, ou que simplesmente a consciência desaparece para sempre? Então pule este texto porque talvez isso não lhe faça sentido algum.

=====

Porque este trecho é principalmente para aqueles que admitem uma realidade fora da sua, de cunho espiritual / transcendental.

Esta realidade existe, eu concordo, mas para entende-la melhor, você deve compreender que de acordo com suas tendencias, nem tudo o que se mostra do "outro lado" da existência, é positivo, verdadeiro e visa nosso bem.

Então deve-se ter muito critério na analise e na divulgação destas canalizações, que são expressões de mediunidade,  posto que podem visar unicamente ser o foco da credulidade dos que os ouvem e "consomem" tais mensagens, e sem qualquer veracidade.


E sobre as aparições e mensagens espirituais de ets?

Estas aparições a que me refiro não são as das supostas naves espaciais, sendo monitoradas por radares, filmadas e testemunhadas por pessoas isentas e aleatórias, já que são aparições que podem ser aferidas por critérios práticos.

Falo de eventos de cunho espiritual, relatados por alguns como demonstrações da proximidade e da comunicação com extraterrestres, intra-terrestres, seres multidimensionais e etc ..  .

Cabe compreender que mesmo diante de um evento real de natureza fantástica, digamos assim, não é a aparência ou o nome auto-declarado que definem a relevância de uma mensagem desta natureza, mas é a própria mensagem que assim se define, e isso é determinante para a comprovação da fonte.


Canalização é Mediunidade

Então você pode pensar : "mas o autor está louco, eu não acredito em reencarnação ou em Espiritismo!!".

OK, mas como então você entender a questão se pretende estuda-la? Como é que você quer ler em japonês, se só entende português?

A escolha É SUA!!

Se escolher estudar este tema, faça um esforço e entenda pelo menos os "ideogramas básicos", se deseja compreender melhor alguns dos mecanismos envolvidos nas mensagens que lhe atraem.

Busque se informar, conhecer o tema sobre o qual deposita sua confiança.


Caso contrário desista do assunto, não insista para não ser enganado !!


Há que se distinguir “Espírito” que possue corpo fluídico e não físico, de “extraterrestre”, que é ser de corpo físico como nós Humanos.

O texto Exoteologia - Outros aspectos - Kardecismo, é explicado em termos simples, que o espírito pode habitar em todo o Universo, pois a matéria não lhe é mais uma limitação.

Mas o extraterrestre não, pois necessita das condições para viver, de acordo com sua própria natureza. Ar ou água, temperatura, pressão; tudo isso lhe limita a condição de habitabilidade, como acontece com qualquer ser corpóreo.

Então é um engano unir/confundir supostos Ets com espiritualidade, porque diante da dificuldade de discernir com clareza a fonte e intenção destas mensagens, pode-se com facilidade 'embarcar na furada', e afirmo isso também porque a análise destas afirmações demonstra que, no minimo, não se cumprem.

Em geral os únicos elementos de verdade contidos esparsamente nestas fontes, são réplicas de conhecimento Humano ou do conhecimento oriundo da verdadeira espiritualidade, presente aqui mesmo entre nós e disponível a todos.

Espíritos existem por todo o Universo, mas a vida corpórea está limitada as condições de desenvolvimento e sustentação que lhe são próprias, neste ou em outros Mundos.

Portanto o ponto X aqui é a dificuldade de discernimento sobre o que nos é dito oriundo destas fontes, e o ceticismo saudável e a análise do conteúdo sempre irá ajudar na compreensão do fenômeno em observação.

Então mais acima, ao mencionar que é um engano unir supostos ets com espiritualidade, me refiro em basear esta premissa em fenômenos, narrativas ou ainda em auto-declarações de nomes de relevância.

Estes temas se unem em algum nível, Espiritualidade e Vida na Terra e fora dela, mas como dito temos a dificuldade de discernir com clareza a fonte e intenção destas mensagens, e nos cabe muito a aprender neste sentido.


Menos de 10 %
 
Quando falamos de mensagens supostamente oriundas de espíritos, entendo que devemos recorrer ao entendimento de pessoa ou pessoas, que mais se dedicaram ao entendimento deste controverso tema, e Hyppolyte Leon Denizard Rivail foi um dos melhores neste tema.

Sob o pseudonimo de Allan Kardec, o codificador do Espiritismo relata em Maio de 1863 no estudo "Exame das comunicações medianímicas que nos são dirigidas", publicado na Revista Espírita na França, que teve acesso a 3600 mensagens de caracter mediúnico, de variadas fontes.

83% (3000) NÃO mereceram censura prévia, e foram analisadas. Destas 3000, apenas 100 demonstraram mensagem relevante, e outras 200 mereceram divulgação. Ou seja, no total, apenas 8 % das mensagem foram divulgadas, e somente 3% foram consideradas realmente relevantes.


Conclusão de Kardec: 
“No mundo invisível como na Terra, não faltam escritores, mas os bons são raros”.


**   **

Biblia

A Bíblia, quando faz a recomendação para que "não se consulte os mortos", parece firmemente baseada na experiência ancestral destes contatos, que revelou, assim como apurado por Kardec no Século 19, que a imensa maioria destas comunicações não agrega conhecimento, apenas confunde.

E que diante da falta de preparo da maioria, frente ao discernimento sobre estas comunicações, o correto é deixa-las de lado.

Portanto, assim como diversas outras recomendações diretas do judaísmo, que possui nada menos que 613 Mandamentos, a ordem de "não consultar os mortos" é dada, já que explicações demandariam conhecimento e consciência por parte de todos para um completo entendimento, e isso não é possível.

Mais simples e efetivo é simplesmente proibir, o que, como vemos, acaba fazendo muito sentido.
 

Portanto, algumas dicas :

1. Não aceitar cegamente textos sem um controle severo. Publicar sem exame, ou sem corretivo, tudo quanto vem dos Espíritos, seria dar prova de pouco discernimento;

2. Ao lado de comunicações francamente más, outras há que são simplesmente triviais ou ridículas. Tais publicações têm o inconveniente de induzir em erro pessoas que não estejam em condições de aprofundar-se e de discernir entre o verdadeiro e o falso;

3. Há comunicações que podem prejudicar gravemente a causa que pretendem defender, em escala muito maior que os grosseiros ataques e as injúrias de certos adversários;

4. A importância que, pela divulgação, é dada às comunicações de Espíritos inferiores os atrai, os excita e os encoraja;

5. Os Bons Espíritos ensinam mais ou menos a mesma coisa por toda parte, porque em toda parte há os mesmos vícios a reformar e as mesmas virtudes a pregar. Por isso, há centenas de lugares onde se obtêm coisas semelhantes, e o que é de poderoso interesse local pode ser banalidade para a massa;

6. Uma coisa pode ser excelente em si mesma, muito boa para servir de instrução pessoal, mas o que deve ser entregue ao público exige condições especiais. Convém, portanto, rejeitar tudo quanto, pela sua condição particular, só interessa àquele a quem se destina. E também tudo quanto é vulgar no estilo e nas ideias, ou pueril pelo assunto;

7. Mesmo a pessoa mais competente pode enganar-se; tudo está em enganar-se o menos possível. Há Espíritos que se comprazem em alimentar, em certos médiuns, a ilusão de que não estão sujeitos a enganos. Por isso, nunca seria demais recomendar a estes não confiar em seu próprio julgamento. Nesse sentido, os grupos são importantes pela multiplicidade de opiniões que neles podem ser colhidas. Aquele que, neste caso, recusasse a opinião da maioria, julgando-se mais esclarecido que todos, provaria super abundantemente a má influência sob a qual se acha;

8. Ao lado de alguns bons pensamentos encontram-se, por vezes, ideias excêntricas e traços inequívocos da mais profunda ignorância. Nesta espécie de trabalho mediúnico é que mais evidentes são os sinais da obsessão, dos quais um dos mais frequentes é a injunção da parte do Espírito de os fazer imprimir;

9. Nenhuma precaução é excessiva para evitar publicações lamentáveis. Em tais casos, mais vale pecar por excesso de prudência, no interesse da causa;

10. Publicando comunicações dignas de interesse, faz-se uma coisa útil. Publicando as que são fracas, insignificantes ou más, faz-se mal em vez de bem;

11. Uma consideração não menos importante é a da oportunidade. Comunicações há cuja publicação é intempestiva e, por isso mesmo, prejudicial. Cada coisa deve vir a seu tempo;

12. Não se trata de desencorajar as publicações. Mas mostrar a necessidade de rigorosa seleção do material. 



**

O Pior Erro


Mas o pior erro é tirar DEUS deste processo, como muitos vem fazendo, e O substituindo por supostos seres extraterrestres.

É um tipo de neo-paganismo,  a substituição do Criador pelas criaturas, e isso somado as afirmações feitas que jamais se comprovam, levando todo o tema ao descrédito, resvalando também na Ufologia e na Escatologia, temas por si só muito controversos.

DEUS criou TUDO, inclusive os espíritos, pressupostos para a vida física de qualquer natureza, planeta ou Universo, e portanto, seres extraterrestres são parte disso.

E DEUS é eterno e perfeito, enquanto suas criaturas, deste Mundo ou de outros, devem buscar evoluir em Sua direção.




Não deixe de ler :











(clique nas imagens do Blog para amplia-las)

Compre o Livro "O que são Profecias"

Compre o Livro "O que são Profecias"
Links para Compra do Livro

Participe do MidiaeProfecia Espaços

Contato

Minha foto
Curioso sobre Profecias e assuntos relacionados.